domingo, janeiro 19

O Canto do Galo



 
O Galo ao cantar
Me faz despertar
É hora de se preparar
Trocar as roupas da noite pelas do dia
E o futuro mirar
 
O Galo ao cantar
Me faz lembrar
De que se depender de mim
Só vou Te negar
 
O Galo ao cantar
Me faz debandar
De meus próprios caminhos trilhar
Pois sem Ti não posso caminhar
 
O Galo ao cantar
Me faz enxegar
O novo raiar da manhã que vem anunciar
As Suas misericórdias para me Renovar
Trazendo a reboque uma esperança sem par
 
O Galo ao cantar
De qualquer terreno baldio da Terra
Vem anunciar que devo renunciar
E fazer morrer minha natureza terrena
 
O Galo ao cantar
De primeira parece incomodar
Sua crista em pé faz a minha abaixar
No fim o que me resta é se humilhar
 
O Galo ao cantar
Me faz na fraqueza gloriar
Perco minha crista de vista
E passo a viver em Cristo por fé
 
Te peço galo, nunca deixe de cantar...

2 comentários:

António Jesus Batalha disse...

Ao passar pela net encontrei seu blog, estive a ver e ler alguma postagens
é um bom blog, daqueles que gostamos de visitar, e ficar mais um pouco.
Eu também tenho um blog, Peregrino E servo, se desejar fazer uma visita
Ficarei radiante se desejar fazer parte dos meus amigos virtuais, saiba que sempre retribuo seguido
também o seu blog. Deixo os meus cumprimentos e saudações.
Sou António Batalha.

Anônimo disse...

Parece uma música! Um cântico sereno e suave.