domingo, outubro 2

Bacia


Por Bruno Jardim

O mesmo tipo de bacia que Pilatos usou para lavar as mãos, foi o mesmo que Jesus usou para lavar os pés dos discípulos.
Assim é a responsabilidade, ela é como uma bacia.
Uns a usam para lavar as mãos, sem se preocupar com o outro que é diferente. Estes, enxugam as mãos com a toalha do segmento que representam e tiram o corpo fora, pois só se preocupam em poupar sua imagem e manter o "status quo" que os favorecem.
Já outros, a usam para lavar os pés dos outros. Tomando para si a responsabilidade de fazer a diferença, indo ao encontro do diferente. Estes, se despem da toalha, ficam nus para enxugar o pé do outro. Traz refrigério e preparam pés diferentes para seguir o caminho. O senso de pertencimento, ocupa o lugar do segmento.
A Bacia de Pilatos carrega a água da Moral. A Bacia de Cristo, carrega a água da Ética.
Só Interage com o ambíguo, quem deixa de olhar para o próprio umbigo.
Não é porque sou branco, cristão, hétero, nunca fui estuprado, não moro em comunidade, que não vou me importar com o índio, negro, ateu, homossexual, vitima de estupro e carente.
Se um dia fui tratado pela Graça de maneira exclusiva, e fui aliviado da sobrecarga e opressão. É para que agora possa tratar o outro de forma inclusiva, a fim de levar alívio para quem ainda é oprimido.
Só assim faz quem se aliviou da pretensiosa responsabilidade de querer converter todo mundo à sua crença e passou a carregar o fardo leve do amor.
Definitivamente, não fui chamado para catequizar ninguém, fui chamado para amar.
Lavar minhas mãos? Só se for para deixa-las limpas a fim de lavar os pés dos outros, sejam eles destros ou canhotos.

Nenhum comentário: