segunda-feira, dezembro 24

É Natal, que nozes!




Chegou o Natal e parece que o filme se repete; correria para comprar presente de amigo oculto, cidade enfeitada, propagandas com musiquinhas que ficam gravadas na cabeça, comidas típicas (que, aliás, gosto muito).... Seria hipócrita em dizer que não gosto desse clima, de fato gosto. Mas, tomo cuidado para não deixar o espírito natalino criado pelos homens, ofuscar o real sentido e mensagem do Natal.

Em meio a todo este cenário, cheguei em casa e me deparei com uma noz, sim uma simples noz, aquele fruto seco com apenas uma semente que nesta época do ano tem lugar garantido na mesa natalina. Para isso, é colocada a venda em todos os mercados, fazendo com que não raramente associemos o Natal a Nozes.

Por isso faço questão de dizer: É Natal, que nozes!

Que nozes me remete a Kenosis, que é o verdadeiro significado do Natal! Kenosis é a palavra em grego que significa esvaziar- se, ela é encontrada no Novo Testamento como esvaziamento de Jesus, Filipenses 2: 5 ao 8:
“De sorte que haja em vós o mesmo sentimento que houve também em Cristo Jesus, Que, sendo em forma de Deus, não teve por usurpação ser igual a Deus, Mas esvaziou-se a si mesmo, tomando a forma de servo, fazendo-se semelhante aos homens; E, achado na forma de homem, humilhou-se a si mesmo, sendo obediente até à morte, e morte de cruz.”

No momento em que o Espírito Santo engravidou Maria, estava se materializando a kenosis divina, o primeiro estágio do propósito da redenção começará; a encarnação do Deus Poderoso, cheio de glória se esvaziando por amor de nós, abrindo mão de tudo aquilo que é para se fazer semelhante aos homens.

Uau! Como imaginar O Deus que criou terra é céu através de SUA palavra, agora ter que aprender a falar.

O Deus Onipresente ter que aprender a caminhar, conservando em si a natureza Divina e humana.

Natal é isso, mais do que comida e saco cheio de presente, o que Deus quer é a nossa vida vazia de nós mesmos, porém preenchida com SUA presença. Tendo o mesmo sentimento que houve em Jesus, que por amor se esvaziou.

O Kenosis é seguido da exaltação, na continuidade do verso o apóstolo Paulo fala: “... por isso, também Deus o exaltou soberanamente, e lhe deu um nome que é sobre todo o nome.”

É justamente quando não fazemos questão de nada que ELE nos dá tudo.

Não quero ser como as nozes que só aparecem nesta época do ano. Quero carregar todos os dias o Kenosis, estar vazio, leve e não solto, mas sim preso pelo propósito de Deus.

Como é difícil largarmos o que somos por amor ao próximo, se todos entendessem que é muito menos doloroso caminhar sem peso. Se somos chamados a abrir mão, a se esvaziar é porque lá na frente o Pai quer nos exaltar.

Portanto, esvazie – se: É Natal, Kenosis!

2 comentários:

António Jesus Batalha disse...

Estou alegre por encontrar blogs como o seu, ao ler algumas coisas,
reparei que tem aqui um bom blog, feito com carinho,
Posso dizer que gostei do que li e desde já quero dar-lhe os parabéns,
decerto que virei aqui mais vezes.
Sou António Batalha.
Que lhe deseja muitas felicidade e saúde em toda a sua casa.
PS.Se desejar visite O Peregrino E Servo, e se o desejar
siga, mas só se gostar, eu vou retribuir seguindo também o seu.

Allan Felipe disse...

Mesmo tendo passado a época do Natal quero parabenizá-lo pelo belíssimo texto.

Que possamos viver um Kenosis diário!

Graça e paz!