sábado, setembro 5

O evangelho dos Teletubbies


Todos conhecem um programa importado da Inglaterra, que, ao menos por lá, faz o maior sucesso entre a criançada: é Teletubbies, onde quatro personagens – que eu diria que são no mínimo esquisitos – levam a vida brincando em um cenário lisérgico, onde um sol com um rosto de criança sempre os ilumina.

No mundo dos Teletubbies, tudo é festa, tudo é alegre, tudo é descontração. Sempre riem, sempre brincam, sempre se divertem. Não tem nenhuma outra responsabilidade do que esta: não ter absolutamente nenhuma responsabilidade.

Como é boa a vida dos Teletubbies! Não tem canseira, não tem preocupação, não pensam em outra coisa que não os seus próprios prazeres… Você já ouviu isso antes?

Tiago nos alerta para não sermos pessoas que vivem um Evangelho dos Teletubbies. Ele diz: Cobiçais, e nada tendes; matais e invejais, e nada podeis obter; viveis a lutar e fazer guerras. Nada tendes, porque não pedis; pedis, e não recebeis, porque pedis mal, para esbanjardes em vossos prazeres. Infiéis, não compreendeis que a amizade do mundo é inimiga de Deus? Aquele, pois, que quiser ser amigo do mundo, constitui-se inimigo de Deus (Tg 3.2-4).

O Evangelho dos Teletubbies é o prazer humano como fim último de nossa existência. O Evangelho dos Teletubbies não se importa em amar ao próximo como a nós mesmos e amar a Deus sobre todas as coisas – afinal, esta é a maior de todas as renúncias – mas se importa em arrancar de Deus tudo aquilo que Ele puder dar. O Evangelho dos Teletubbies prima pela não-observância dos mandamentos de Deus, mas observa os “direitos inexoráveis do homem”. Assim, quando alguém, de forma deliberada e consciente, transgride aquilo que a Palavra normatiza, ele está abandonando o Evangelho de Cristo e abraçando o Evangelho dos Teletubbies. O mesmo acontece quando alguém deixa de amar a Deus, ou deixa de amar ao próximo, ou ainda, deixa de amar a obra de Deus, negando-se, inclusive, a contribuir (afinal, diria um teletubbie, se Deus é dono do ouro e da prata, Ele que se arranje!).

Somos desafiados a rejeitar o Evangelho dos Teletubbies e vivenciar única e exclusivamente o Evangelho de Cristo, sendo Seus imitadores. Abandonemos, portanto, tudo aquilo que não pertence ao SENHOR, abraçando Sua cruz, crucificando, inclusive, nossa carne.

Texto: Rev. Digão
Via: Blog do Digão

2 comentários:

Bruno Jardim disse...

É hora de dar Tchau para esse Evangelho dos teletubbies !!!

Claudio Silva disse...

Obrigado pela visita.

Está acontecendo uma doce revolução, que desmascara este evangelho da repetição e da alienação e blogs como o seu são aliados nesta resistência aos ditames deste teletubbiemania.
Deus seja louvado por sua vida e seu blog.