quinta-feira, fevereiro 20

Então... Prepara!



Por Bruno Jardim

Esta tem sido a tônica de muitas mensagens: Tá preparado para volta de Jesus? É uma verdadeira corrida apocalíptica, onde cada um corre para o seu lado para assim garantir um lugar no Céu. É uma preparação cujo raio de ação concentra- se no próprio indivíduo e não mais do que isso.  

É hora de dizer tchau a esta postura escapista, onde o importante é se preparar para ser encontrado pronto e assim transportado para o céu. Enquanto os outros que aqui ficarem vão ficar babando, os “preparados” escapam deste mundo, já que ele esta destinado a virar “churrasco”.

Quer saber... Tá faltando Sal neste “churrasco”!

O que fazer até a volta (manifestação visível) de Jesus? Afinal... o que, para que e para quem se deve preparar?

Resposta: Trabalhar na Preparação do Mundo para ser Restaurado a fim de que este se torne o cenário da Manifestação Visível do Filho de Deus.

Quando aprendermos a conjugar o verbo para além da quinta pessoa do plural, iremos alcançar o verdadeiro propósito de nossa existência. O Amor é para este Mundo, o verbo amar precisa desaguar na sexta pessoa do plural, ele precisa chegar até o “ELES”.

Foi para isso que fomos salvos de nós mesmos, para romper com a fronteira da subjetividade do “Eu” e mergulhar na objetividade do “ELES”.

O Deus que se manifestará de forma visível e todo olho o verá, não se retirou do nosso meio. Ao invés de “volta” é preferível dizer “manifestação visível”. Ele mesmo prometeu que estaria conosco todos os dias de nossas vidas (Mateus 28:20)! Neste caso, seria a verdadeira volta dos que não foram...

Até lá... Deus resolveu brincar de esconde – esconde com o mundo. E sabe em qual esconderijo? No próximo desaproximado! Ele se esconde justamente nas figuras de nossos preconceitos! É ali, justamente onde não queremos procurar é que vamos encontra- LO.

Somos o Sal da Terra
 (Mateus 5:13). Você conhece alguém que ao entrar em um restaurante elogia o sal da comida?

O sal tem como propósito evidenciar o sabor
 já existente da comida sem chamar atenção para si. Quando o sal resolve aparecer é sinal de que alguém errou na mão do tempero e acabou comprometendo a comida.

A alegria do sal é ser luz e não ter a luz. É ser holofote e não ter os holofotes voltados para si. Se ele é visto é sinal que petrificou e assim estando perdeu seu sabor, tornou- se insosso. Mas, quando não é notado ele cumpriu com seu papel, tornando- se parte do sabor. 

O Sal não pode ficar preso no saleiro, ele precisa ser salpicado, caso contrário irá endurecer e servirá apenas para ser pisado. Em outras palavras, o individuo não é um fim e sim um meio.

Aquilo que acontece em minha vida tem como alvo contribuir para restauração de todas as coisas. Mas, quando nos preocupamos única e exclusivamente em nos preparar, olhando somente para nós mesmos estamos nos petrificando, tornando- nos estátua de Sal!

Cada ação realizada em vida deve ser vista de forma macro, de modo que aquilo que se faz esteja contribuindo para um mundo melhor. Ao invés de ser um estraga prazer, devemos evidenciar o sabor intrínseco já existente, porém escondido pelo pecado. Isso deve ocorrer de maneira discreta, sem imposição, é o modo invisível de ser sal que prepara o mundo para manifestação visível de Cristo.

Que nossos passos nesta vida tenham os pés calçados com a preparação do evangelho da paz (Efésios 6:15).  

Quando todas as nações, culturas, raças estiverem devidamente salgadas, o mundo estará preparado para recepcionar a manifestação plena do Filho de Deus. É ação do Sal da Terra que irá provocar no mundo uma sede por Cristo e assim ELE será o desejado de todas as nações e encherá esta casa de glória (Ageu 2:7).

Então... Prepara! Que é hora de salgar e amar o Mundo para Cristo!


              


Nenhum comentário: