domingo, setembro 20

Quer dançar comigo?


Hoje estive pensando um pouco mais sobre o episódio em que Mical, de sua janela, desprezou e censurou a Davi enquanto este dançava à frente da Arca da Aliança, em seu cortejo de volta a Jerusalém.

Dissemos no artigo anterior que para Mical, o que lhe dava o direito de julgar seu marido daquela maneira era o senso de valor próprio e o senso de justiça própria.

O primeiro, porque Davi havia lhe atribuído um valor maior do que Saul, pai de Mical, pedira como dote.

E o segundo, porque Mical havia livrado a Davi de ser assassinado pelos servos de seu pai, dando-lhe fuga pela janela de seu quarto.

Foi daquela mesma janela que Mical o desprezou. Ela se achou no direito de fazê-lo.

Fiquei imaginando se essa história não poderia servir como analogia de Cristo e a Sua Igreja.

Como Mical, muitos cristãos se acham no direito de desprezar o que Deus está fazendo do lado de fora dos seus arraias religiosos.

Afinal de contas, Deus lhes atribuiu valor muito maior do que de fato mereciam. O preço pago por sua redenção foi o sangue de Jesus. No caso de Mical, seu dote custou a morte de duzentos filisteus. No caso da Igreja, seu dote custou a morte do Filho de Deus.

O que deveria nos envergonhar, tornou-se no motivo de nossa soberba. Achamo-nos mais importantes do que o resto do mundo.

Da janela de nosso edifício teológico, desprezamos o Deus que dança com o resto da criação. Este Deus não é monopólio de ninguém. Ele é Espírito, e o Espírito é livre para soprar e dançar onde quiser.

Além desse senso de valor próprio, os cristãos também têm nutrido um profundo senso de justiça própria.

Achamos que nossas boas obras foram capazes de nos tornar credores de Deus. Se antes, nós é que tínhamos uma dívida com Ele, agora, Ele é quem nos deve. Concluímos que nossas boas obras fazem com que o preço pago por nós seja devidamente compensado. É como se estivéssemos quites com Deus. Quanta pretensão!

Em lugar de gratidão, vaidade. Em lugar de humildade, presunção.

Até quando os cristãos desprezarão o Seu Deus? Até quando se incomodarão com o que Deus está fazendo para além dos muros eclesiásticos? Até quando censurarão e repudiarão o Deus dançarino?

Tornamo-nos como o irmão mais velho do filho pródigo. Recusamo-nos a participar da festa de arromba promovida pelo Pai por causa do filho que retornou. Só dançamos se a festa for nossa, se o baile for gospel!

O desprezo de Mical a Davi lhe rendeu esterilidade por toda a vida. Até que ponto a igreja cristã também não tem se tornado estéril em nossos dias por desprezar o que Deus está fazendo lá fora?

Só há uma maneira de reverter este quadro de esterilidade espiritual: descer de nossas torres eclesiásticas e aceitar o convite que Cristo nos faz: Quer dançar comigo?

Texto: Hermes C. Fernandes

7 comentários:

Joelson Gomes disse...

Bruno, obg pela visita ao GRAÇA PLENA, Deus te abençoe e volte sempre.

Joelson Gomes
http://gracaplena.blogspot.com

Carol Botelho disse...

Excelente comparação! Eu quero dançar com Deus!

Bárbara Matias disse...

Pazzzzzzzzzzzzzzzzz

Não pude deixar de reparar que vc ingressou aos meus Leitoress!! rs

Vim dar uma olhadela no seu blog e gostei bastante! Ultimamente só tenho visto blogs excepcionais.
A propósito, o Hermes é uma bênção... Sempre com textos tão bons...

Enfim, como gostei, estou te seguindo!!

Com amor em Cristo, Bárbara Matias.

Bárbara Matias disse...

Bruno de Deus... Só agora vi seu comentário... HAHAHAHA
Desde que moderei pra autorizar comentários de posts antigos eu acabo me esquecendo desse detalhe... rssssssssssssss

Amém e obrigada pelas palavras!
rs

Pazzzzzzzzzzzzzzzzzzz

MISSÕES SEMPRE ! disse...

A paz do Senhor irmão Bruno. Bem elaborado o texto. Deus abençoe o ministério da REINA. Volte sempre em meu blog, Fique com DEUS !

Bom dia!

Miriam disse...

Olá Bruno,
Agradeço a visita e parabéns pelo blog.

Pastoragente disse...

Bruno, tive o maior prazer em ver que passou pelo meu blog e clicou em "seguir"...obrigado, mas melhor ainda foi a oportunidade de conhecer o seu! Gostei muito da linguagem clara e da profundidade dos textos. Esse então...foi ótimo. Parabéns, viu? Vamos manter contato. Deus o abençôe.