quarta-feira, julho 1

Pés no chão

“Quão formosos os pés dos que anunciam o evangelho de paz; dos que trazem alegres novas de boas coisas.” Romanos 10:15.

Uma breve recapitulação na vida de homens extraordinários que incendiaram o mundo, tais como: João Bunyan, Davi Livingstone, Davi Brainerd, Jônatas Edwards, Savonarola e etc. Pode – se perceber que eles tinham em comum os pés deformados pela formosura do evangelho da paz.

Os pés só ficam formosos quando são deformados. E são deformados, pois de muita boa vontade se deixaram gastar, por amor as almas. Ainda que amando- as cada vez mais, fossem menos amados. (II Coríntios 12:15)

No fim da vida, estes homens olharam para os seus pés e constataram sua desfiguração. E se alegraram, pois vislumbraram o fruto do seu penoso trabalho. Eram pés de desbravadores, capaz de criar um caminho no deserto, de resplandecer em meio à lama, bem como os lírios dos campos. Tinham a certeza que tal deformação iria formar novos caminhos e trazer as boas novas. Vivendo assim o amor de Cristo, que é se deixar gastar em favor dos outros.

A formosura dos pés desses homens foi muito além da estética. Antes, tal formosura pode ser vista na ética, esta por sua vez significa; o que é bom para o indivíduo e para a sociedade, ou seja, eles buscaram torna o ambiente adequado para todos. Deixaram o mundo um pouco melhor, e um legado para a posteridade. Suas vidas não foram um ponto final, mas sim uma reticência...

Percebo que esses pés deformados, são os mesmos pés que estão calçados na preparação do evangelho da paz (Efésios 6;15).

Tal calçado não provoca a perda da sensibilidade do ambiente em que se esta inserido. Ao contrário, é um calçado que leva à compaixão, fazendo com que se sinta o que se passa no ambiente.

É hora de abandonar os sapatinhos de cristal da cinderela, que mantém os pés bonitos, intactos e alienados. Sair do mundo de fantasia e imaginação para viver na realidade. Para isso, precisamos voltar a calçar a preparação do evangelho da paz.

Com ele, mesmo estando calçados e protegidos, nossos pés irão acompanhar a passagem do tempo, não serão alienados, vivendo em outra dimensão. Ao invés de querer ruas de ouro, eles preferem as ruas empoeiradas dessa vida. Pois são elas que precisam de reforma, ainda que isso venha custar à deformação dos pés.

Cristo pediu ao Pai para que não nos tirasse do mundo, mas que fossemos protegidos do mal (João 17; 15). Essa proteção é garantida, pois ELE nos calçou na preparação do evangelho da paz. Com este calçado podemos pisar em serpentes e escorpiões e nada nos fará dano (Lucas 10; 19).

Ele faz com que os pés não sintam mais medo de se contaminarem com as poeiras acumuladas no caminho. Pois sabem que existe alguém que esta disposto a lava – los constantemente, garantindo assim sua caminhada...

Um comentário:

Danilo Fernandes disse...

Bruno!

Obrigado pelo link.

Estou retribuindo!

Danilo

http://genizah-virtual.blogspot.com/